Tradição, Família e Propriedade


Fundador

Continuação...

O Cruzado do século XX

Relatam as crônicas medievais que o ilustre Duque da Baixa Lorena, Godofredo de Bouillon, chefe da primeira Cruzada, era homem de força extraordinária.

Em vista de suas proezas, indagavam-lhe qual a origem de tal força, ao que ele respondia resolutamente:

"Sou forte porque sou casto".

A cruzada ideológica de Plinio Corrêa de Oliveira exigiu de seu mentor uma força de alma em muitos aspectos superior à daquele intrépido guerreiro.

Teve a coragem de, sem temor servil nem respeito humano, rumar sozinho contra a maré daquilo que outrora se qualificava de modernidade, e enfrentar de viseira erguida todo o tipo de perseguições que seus adversários lhe moveram, fossem absurdas campanhas de calúnias ou o implacável silêncio.

A fortaleza de alma para levar adiante essa luta, encontrou-a ele sobretudo no auxílio maternal da Santíssima Virgem, mas poderia ele afirmar também, tal como Godofredo de Bouillon, "sou forte porque sou casto".

Castidade combativa, castidade destemida, ideal de vida que ele transmitiu a seus discípulos da Contra-Revolução.

Aristocrata pelo sangue, e ainda mais pelo espírito, em Plinio Corrêa de Oliveira brilharam em alto grau as principais qualidades que, segundo Pio XII, devem ser apanágio da Nobreza: fortaleza de ânimo, prontidão para a ação, generosa adesão aos princípios da doutrina e da vida cristã, cavalheirosidade aristocrática, humildade cheia de grandeza. A estas se acrescentavam um notável senso de honra, de lealdade, de veracidade, a distinção de um gentil-homem, o tino e argúcia de um diplomata, a perspicácia de um estrategista.

Um dos aspectos mais originais da batalha incruenta conduzida por Plinio Corrêa de Oliveira foi o método de propaganda por ele idealizado, e posto em prática por todas as TFPs: campanhas de rua em contato direto com o público, nas quais os propagandistas arvoram altaneiros estandartes rubros, marcados com o leão heráldico, e envergam capas vermelhas, evocando a simbologia da cavalaria cristã medieval. São das ocasiões em que mais reluz o "charme grandioso da TFP", no dizer de um conhecido jornalista paulistano.

Pode-se afirmar que Plinio Corrêa de Oliveira, batalhador clarividente e incansável contra todos os fatores de degradação que corroem nossa sociedade, foi, a justo título, o Cruzado do século XX.

Continua...

« ... 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 ... »