Tradição, Família e Propriedade


Fundador

Continuação...

Inesquecíveis conferências

Plinio Corrêa de Oliveira foi indiscutivelmente, homem de ação.

Até seus últimos dias manteve uma atividade incansável. Fazia quatro conferências semanais para o plenário da TFP brasileira, além de atender diariamente membros das mais diversas comissões de trabalho ou de estudo, existentes na entidade. A tal ponto que sua jornada se prolongava, de modo habitual, noite adentro, até às 3h da manhã. Se o número de livros e ensaios que escreveu (16), bem como de artigos, manifestos e outros escritos publicados (mais de 2.500) refletem bem seu intenso dinamismo, mais notável, ainda, é o total de conferências e palestras de formação por ele feitas, na TFP, ao longo destes últimos 35 anos, que ultrapassa 20 mil.

As inesquecíveis conferências semanais denominadas "Reunião de Recortes" constituíam momentos dos mais solenes na vida interna da TFP. Tiveram elas sua origem nos remotos tempos do "grupo do Legionário", quando o ainda jovem congregado mariano Plinio Corrêa de Oliveira, reunindo seus primeiros companheiros de luta, instruía-os com análises penetrantes dos acontecimentos da atualidade, à luz da Doutrina Católica. O nome "Reunião de Recortes" se deve ao fato de ser com base em recortes de jornais da imprensa nacional e internacional, por ele próprio selecionados, que Plinio Corrêa de Oliveira tecia seus clarividentes comentários.

Ao longo dos anos e das décadas, ele foi diversificando os temas e os tipos de exposição, segundo o interesse manifestado por seus ouvintes. Aos olhos destes reluzia sua lógica irrepreensível, bem como a clareza cristalina de seu pensamento, que ele sabia de tal modo embelezar que tornava extremamente atraente e leve tudo quanto dizia.

Escola de pensamento e de ação

Plinio Corrêa de Oliveira deixa fundada uma escola de pensamento e de ação. Esta é caracterizada, antes de tudo, por uma adesão total e entusiasmada à doutrina da Igreja Católica Apostólica Romana, expressa nos ensinamentos dos Romanos Pontífices e do Magistério eclesiástico em geral.

"Sou tomista convicto", era a afirmação clara e categórica com a qual ele iniciava seu "Auto-retrato filosófico".

A partir da análise direta da realidade, à luz da Fé, deduziu uma série de princípios não apenas teóricos, mas também teórico-práticos, muitos dos quais encontram-se expostos de forma metódica e sintética no magistral ensaio Revolução e Contra-Revolução, e grosso modo em todos os seus escritos.

Uma de suas preocupações primordiais era a explicitação dos princípios que devem nortear a construção de uma sociedade plenamente inspirada na Doutrina Católica. Em Revolução e Contra-Revolução, assim condensava ele suas conclusões:

"Se a Revolução é a desordem, a Contra-Revolução é a restauração da ordem. E por ordem entendemos a paz de Cristo no reino de Cristo. Ou seja, a civilização cristã, austera e hierárquica, fundamentalmente sacral, antiigualitária e antiliberal" (p. 97).

Continua...

« ... 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 ... »