Artigo

Ecos de Roma...

Como vimos anteriormente, Dr. Plinio se ausentara uma vez mais do convívio com Dª Lucilia, a fim de viajar para Roma, onde acompanharia as semanas iniciais do Concílio Vaticano II.

Arcos-botantes de benquerença

A Cidade Eterna se encontrava regurgitante de pessoas chegadas dos mais longínquos recantos do mundo. Era uma oportunidade única para alargar o âmbito de relações do jovem grupo dirigido por Dr. Plinio. Somando-se a isso os trabalhos diretamente concernentes aos debates do Concílio, não deveria sobrar muito tempo livre a ele para escrever cartas, pelo que sua correspondência nesse período é reduzida.

Em sua primeira missiva, comenta a visita feita ao Capitólio romano, importante edifício, situado numa belíssima praça. O conjunto é, por sua perfeita harmonia e proporção, dos mais belos do mundo.

Naturalmente, ao contemplar o magnífico cenário da Roma dos Papas, não poderia deixar de pensar em Dª Lucilia, cuja alma admirativa se encantaria com tudo aquilo.

Se ela ali estivesse, percorreria devagarzinho aqueles espaços, apoiada no braço do "filhão", e comentando, enlevada, este ou aquele aspecto – o belo azul do céu romano, os castelos de nuvens no horizonte a ressaltar a grandeza de milenares monumentos, o Tibre que vai serpeando vagarosamente por entre históricos edifícios e gloriosas ruínas – até que o declinar do sol lhe anunciasse o fim de tão agradável prosinha...

Roma, 22-10-1962

Luzinha querida do meu coração

Estou esperando ansiosamente uma carta sua. Em todo o caso, já soube por carta de um rapaz do grupo, que a Sra. recebeu bem a notícia de minha viagem: graças a Deus!

Aqui me tenho lembrado muito de minha Lú, e de sua conversinha que tantas saudades me faz, bem como de seus agrados, e de tudo o mais, de que sinto tantas saudades!

Especialmente, lembro-me da Sra. quando vejo certas coisas bonitas, de que a Sra. gostaria muito. Ontem, por exemplo, vi o Capitólio romano, que aliás já visitara em 1959. É estupendo. E logo pensei: como seria bom que a minha Lú do coração pudesse ver isto.

Escreva-me logo, minha Querida, falando-me de tudo a seu respeito, e especialmente de sua saúde.

Tenho trabalhado muito, comido muito, passeado um pouco em lugares lindos.

Mando-lhe junto as cartas a Rosée e Maria Alice. Assim a Sra. ficará com um noticiário completo.

Sou obrigado a interromper, pois são 16 hs. e às 17 terei uma reunião muito importante.