Dr. Plinio: Fidelidade à Santa Igreja


Entusiasmo e amor pelo Papado

Nunca será demasiado procurarmos recordar as grandezas do Papado, admirá-las, entender o seu papel na História e na vida dos homens, para assim crescermos no amor a essa instituição admirável que Nosso Senhor estabeleceu como cabeça da Igreja.

A fim de melhor fazê-lo, convém tomarmos em consideração a importância da própria Igreja no existir da humanidade.

A missão de ensinar e governar

A Santa Igreja Católica Apostólica Romana é especialmente constituída por aqueles que crêem e declaram acreditar em toda a doutrina por ela ministrada. Naturalmente, estes devem praticar os Mandamentos e freqüentar os sacramentos. Mestra, ela lhes ensina aquilo no que precisam crer: se o fazem, com o auxílio da graça divina e de Maria Santíssima, serão salvos; caso contrário, correm o risco de se condenarem.

No conjunto da Igreja, os leigos são os discípulos, enquanto à Hierarquia cabe a missão docente, cuja formação aceitamos com enlevo e respeito, deixando-nos educar por ela. Temos, portanto, uma sociedade constituída por aqueles que ensinam e pelos que são ensinados.

Porém, a Igreja não se limita a instruir. Ela governa, guia, oferece diretrizes aos homens, em ordem à salvação deles. Por exemplo: "Compareçam à Missa no domingo e dias de guarda; confessem-se e comunguem uma vez por ano; façam jejuns em certos dias", etc. Além disso, ela promete indulgências a quem praticar determinados atos, e se reserva o direito de aplicar sanções e penalidades quando julgar necessário. A Igreja não é apenas Mestra, mas Mãe. Em relação aos seus filhos, a mãe os governa e educa, com bondade e firmeza, para levá-los a seu normal desenvolvimento, assim como a Igreja conduz as almas a fim de alcançarem o Céu.

Especial tarefa de santificar

Ademais de governar e ensinar, outra missão cabe ainda à Esposa Mística de Cristo: a de santificar.

Essa ação santificante da Igreja se realiza através do sobrenatural, ou seja, da graça divina. Para entendê-lo, imaginemos o homem mais dotado de boas disposições que tenha nascido, sem contudo conhecer a Igreja. Se lhe apresentarem os Dez Mandamentos, ele poderá se entusiasmar e dizer: "Vou cumpri-los!"

Mas, em virtude do pecado original, todos os homens se tornaram tão inclinados para o mal, que nem mesmo esse indivíduo privilegiado conseguirá observar na totalidade e de modo durável a Lei de Deus. Ele fracassará e cometerá faltas, arrastado por essa triste tendência. Então, é mister a ajuda sobrenatural para que o homem logre praticar os Mandamentos, bem como todas as virtudes necessárias para subir ao Céu.

Tal socorro, como dissemos, lhe vem pela graça, participação criada na vida incriada de Deus que o Senhor nos concede. Dom maravilhoso, cuja ação benéfica eleva nossa alma, a fortalece, dá-lhe a indispensável clareza de espírito para crer nas verdades eternas, infunde-lhe vigor e disposição para obedecer e cumprir os Mandamentos divinos e os preceitos eclesiásticos.

Continua...

« ... 1 2 ... »