Saúde dos enfermos

O  homem que, em consequência do pecado original, está sujeito às mais aflitivas doenças, amiúde recorre à Santíssima Virgem suplicando-Lhe a cura de seus males. Por isso a Igreja A invoca como a “Saúde dos enfermos”.

Não raras vezes, Nossa Senhora permite doenças e provações físicas a fim de que os homens, curados por sua intercessão, sintam a maternal bondade com que a Mãe de Deus os atende e sejam, assim, por Ela mais atraídos e conquistados. Nossa Senhora, Saúde dos enfermos é, portanto, num primeiro plano, Aquela que restitui a saúde corporal aos homens.

Será só isto? Maria é Mãe apenas quando trata de nossos males? Não será também insigne favor o fato de Ela permitir que nos acometa alguma doença, e que esta perdure longamente? Muitas vezes sim. A doença pode ser um meio mais excelente de nos aproximar d’Ela, de tomarmos distância das coisas do mundo, de compreendermos como é transitória a vida, de purificarmos nossa alma de inúmeros pecados e defeitos. Neste caso, a doença é um bem para nós. De tal sorte que podemos dizer a Nossa Senhora: “Se essa enfermidade for melhor para minha alma, eu a aceito. Porém, Vós tendes o poder de abreviá-la, caso esteja nos desígnios de Deus fazer-me mais bem a saúde do que a doença. Se tal for, se meus pecados não constituírem obstáculos à vossa misericórdia, peço-Vos que me cureis. Do contrário, acolho com humildade o que me destinais”.

Sobretudo devem se dirigir a Maria Santíssima os pecadores, para que Ela restitua a saúde às suas almas enfermas da pior das doenças, que é o pecado.

Plinio Corrêa de Oliveira (Extraído de conferência de 8/9/1970)

Revista Dr Plinio 251 (Fevereiro de 2019)

Envie-nos um comentário

You might be interested